Blog do Praetzel

Arquivo : Botafogo

Montillo pensa em título para o Botafogo e elogia Sampaoli na Argentina
Comentários Comente

Alexandre Praetzel

O Botafogo está em três frentes, nesta temporada, buscando uma conquista maior. O time tem vagas nas oitavas-de-final da Libertadores da América e quartas-de-final da Copa do Brasil. No Campeonato Brasileiro, ocupa a 12ª colocação com oito pontos em seis jogos, com duas vitórias, dois empates e duas derrotas. O blog entrevistou o meia argentino Walter Montillo sobre as pretensões do grupo, as chances de ganhar um grande título e a chegada de Jorge Sampaoli à Seleção do seu país. Confira.

Botafogo tem condições de ganhar um grande título, neste ano?

“A gente sempre tem que pensar em coisas grandes. Conseguimos coisas importantes para o clube, até o momento. Sabemos que somos um grupo que está sofrendo várias lesões, um pouco complicadas, porque as vezes não tem previsão de volta e temos uma garotada que está subindo, que a gente tem que tentar levar aos poucos. A responsabilidade tem que ser dos mais velhos do grupo para depois jogar com tranquilidade”.

Botafogo deve priorizar alguma competição ou não existe isso?

“Neste momento, a gente não pode priorizar nada porque estamos no meio de todos os torneios e a gente tem que se focar no Brasileiro também. Perdemos pontos importantes e precisamos recuperar. Não podemos priorizar. A gente tem que ir jogo a jogo, pensando em ganhar, como a gente sempre tenta fazer e depois mais na frente a gente vai ver, quando chegam os momentos da Libertadores, Copa do Brasil, aí o treinador vai escolher. Mas, pelo momento, a gente tem muitos jogadores machucados e todo mundo está tendo a oportunidade de jogar e temos que continuar, trabalhando bem”.

Como defines teu retorno ao Brasil? Estás satisfeito, mesmo com o calendário desgastante?

“Fiquei quase dois meses machucado. Eu não queria isso, nunca passei por uma situação assim, mas sempre trabalhando para dar o melhor. Semana passada, foi o primeiro jogo, depois de tanto tempo. As vezes, fica com um pouco de medo de acontecer algumas coisas, mas graças a Deus me senti bem e acho que com a sequência de jogos, vou me sentir melhor”.

Jorge Sampaoli foi uma boa escolha para comandar a Argentina?

“Tomara que ele consiga fazer o que fez nos clubes onde ele passou. É um treinador muito experiente, que todo mundo queria ter. Então, hoje foi uma boa escolha. Tomara que ele consiga classificar a Argentina para o Mundial”.

Montillo foi contratado como o grande nome do Botafogo, para este ano. Disputou 13 jogos, com 839 minutos em campo e nenhum gol marcado. O Botafogo enfrenta o Vitória, nesta quarta-feira, em Salvador.

Na Copa do Brasil, a equipe enfrenta o Atlético-MG, em duas partidas, nas quartas-de-final. Na Libertadores da América, o Botafogo terminou em primeiro lugar no seu grupo e aguarda o adversário das oitavas-de-final.


Jair Ventura elogia trabalho do Botafogo e evita falar em 2017
Comentários Comente

Alexandre Praetzel

O Botafogo começou o Brasileiro como um dos candidatos ao rebaixamento, segundo grande parte da imprensa esportiva. Problemas financeiros, mau início do torneio e um grupo modesto de jogadores indicavam uma situação difícil para o time. No entanto, o Botafogo se tornou a grande surpresa da competição. Começou uma recuperação com Ricardo Gomes e deslanchou com Jair Ventura, após a ida de Ricardo para o São Paulo. Nesta entrevista exclusiva ao blog, Jair fala da reação alvi-negra, do trabalho da diretoria e da importância do pai Jairzinho, o eterno “Furacão da Copa de 70”. Aos 37 anos, Jair pode levar o Botafogo à Libertadores da América, em 2017. Acompanhem.

Campanha do Botafogo, após problemas e desconfianças

“Estávamos incomodados com a posição do Botafogo na tabela. Nenhum profissional quer ser marcado na carreira por um rebaixamento. Então, começamos a trabalhar cada vez mais, já que não estávamos fazendo o suficiente para sair do rebaixamento. Começamos a fazer algumas coisas diferentes com mais empenho, mais trabalho, mais dedicação, cada um na sua área, e com muito sacrifício, entrega nos treinos e jogos, conseguimos dar esse passo, sempre pensando jogo a jogo. Alcançamos a pontuação para escapar do rebaixamento e estamos em busca de algo melhor na competição”.

Modelo de jogo e trabalho

“Depende do que você tem em mãos para usar. Minha filosofia e esquema de jogo têm que se adequar ao meu elenco. Não posso ter um sistema pré-definido se eu não tenho jogadores com aquelas características. Toda filosofia, metodologia e aplicação têm que ser mutável de acordo com seu elenco. Cabe ao treinador tirar de cada jogador o que eles têm de melhor e automaticamente buscar os bons resultados. Tem que se adequar com a característica dos seus jogadores. Todo treinador tem sua ideia, mas se o seu elenco não tiver as características, você tem que pensar algo diferente”.

Mereces ser o técnico em 2017

“Como já falei anteriormente, trabalho com metas. Alcançamos a primeira, que era livrar o Botafogo da zona de rebaixamento. Agora, passou a ser levar o time o mais alto possível na tabela. Ainda não conversei com a diretoria sobre o ano que vem. Estou preocupado com o próximo jogo. Vamos ver no final do ano como é que vai ficar a minha situação”.

Participação do pai na carreira

“O meu pai não tem participação na minha carreira, ele tem participação na minha vida. Um grande ídolo, um cara que admiro bastante, não só como jogador, mas como pessoa, de um caráter fantástico, íntegro, um cara que preza muito pela verdade, um grande exemplo para mim. Me deu educação, sempre me cobrou muito, é um cara competitivo, herdei isso dele. Fico feliz em ser filho de um grande ídolo, ele é uma grande inspiração. Só vejo coisas boas nisso. Ele é meu grande ídolo”.

Futuro imediato do Botafogo, apesar das dificuldades

“O futuro do Botafogo é bem promissor. O trabalho do presidente Carlos Eduardo Pereira e toda a diretoria. Pegaram o Botafogo numa situação muito difícil, financeiramente. E hoje, o Botafogo está voltando aos trilhos, graças ao trabalho do presidente e diretoria. Estão pagando em dia, cumprindo com todas as obrigações, premiações de jogadores. Isso ajuda muito no mercado para estarmos cada vez mais fortes, com novos patrocínios, na captação de atletas. Só tenho a parabenizar o presidente e toda a diretoria por estarem conseguindo organizar toda a parte extra-campo, o que dá tranquilidade para a gente dentro do campo. Isso é benéfico para todos”.

Jovens treinadores no mercado

“Tem espaço para todo mundo. Acho que não tem que ser só com treinadores jovens e nem só com medalhões. Tem espaço para todos. Não é porque o treinador é jovem, que ele não é preparado, e não é por ser experiente que ele está desatualizado. Trabalhei com treinadores com uma idade mais avançada e que estão super atualizados, que buscam coisas novas, saber o que tem de moderno. E tem jovens que não estudam tanto. Não podemos rotular. Temos jovens treinadores preparados e outros que ainda não estão. Assim como temos experientes atualizados e outros, nem tanto. Tem espaço para todo mundo, desde que estejam sempre buscando o melhor”.

Botafogo vai à Libertadores da América

“Nosso objetivo inicial foi alcançado, que era chegar a pontuação para nos livrar do rebaixamento. Agora, vamos pensar jogo a jogo para tentar levar o Botafogo o mais alto possível na tabela. No fim do campeonato, vamos ver o que nos espera”.

O Botafogo tem 47 pontos e hoje estaria classificado para a pré-Libertadores, em 2017. O time pega o Atlético-MG, neste domingo, na Arena Botafogo.

 


Jairzinho defende o trabalho do filho no Botafogo e evita falar de Ronaldo
Comentários Comente

Alexandre Praetzel

Jairzinho, o Furacão da Copa de 1970, com gols marcados em todos os jogos do Mundial, é pai de Jair Ventura, técnico do Botafogo. Aos 71 anos, o ex-craque botafoguense e cruzeirense, defendeu o trabalho do filho à frente do clube carioca, em entrevista ao blog. Jairzinho também descobriu Ronaldo Fenômeno, em 1993, no São Cristóvão do Rio de Janeiro, mas nunca teve o reconhecimento merecido pelo ex-jogador, hoje empresário. Acompanhem abaixo.

Trabalho do filho no Botafogo

“Eu sou treinador também. Eu sou duvidoso de poder dizer que o Jair está fazendo um excelente trabalho à frente da equipe principal do Botafogo. Se você fizer um retrospecto dos anos, Jair está há sete anos no Botafogo. Começou nas divisões de Base, juvenil, juniores, ganhou títulos dentro do Brasil, fora do Brasil. Teve experiências na Seleção Brasileira Sub-17, Sub-20. Foi aguardando com muita tranquilidade o momento exclusivo. Ele tem a experiência de sete treinadores anteriores, inclusive Ricardo Gomes, que foi agora o mais recente que ele trabalhou junto. Então, ele está aplicando a filosofia que ele acha que é correta. Eu apenas estou batendo palmas. Eu não estou interferindo em nada. Só disse para ele. Seja você na hora da derrota e seja você na hora da vitória. Só que ele nesse exato momento está num crescente de vitórias e que eu espero que ele possa de fato ajudar o Botafogo a continuar na primeira divisão porque ganhar títulos é impossível”.

Botafogo dará seguimento ao trabalho

“Olha só meu amigo. O futebol é muito complexo porque hoje você pode estar sendo aplaudido igual ele foi aplaudido nestes últimos três jogos, até perdendo ele foi aplaudido. Há muitos anos que eu não vejo a torcida botafoguense estar tão entusiasta como está agora com o comando do Jair. Então, vamos torcer que exista ali a boa vontade da direção do Botafogo e que possa dar a ele a oportunidade para mais um período à frente da equipe principal”.

Futebol brasileiro hoje

“Bom, os dois pontos mais importantes do futebol chamam-se a qualidade com técnica e o Brasil está muito carente em termos de qualidade. Hoje, tem um ponto que é muito importante, que sempre foi uma referência, que é o número dez. Quem é o número dez do Brasil? Eu não consigo vê-lo. Então, isso é a maior preocupação. Mas ainda há tempo, vamos esperar que o Tite possa dar a nós o que nós desejamos, que é a classificação, para que o Brasil continue sendo a única seleção a nunca ter faltado a nenhuma Copa do Mundo e que nessa transformação e renovação que ele está fazendo, possam surgir verdadeiramente jogadores de alto nível”.

Mágoa com Ronaldo Fenômeno

“Eu prefiro não falar sobre isso. Eu só desejo que ele tenha muita sorte”.

 

 

 


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>