Blog do Praetzel

Arquivo : meia

Scarpa é ótimo reforço em qualquer time. Será titular no Palmeiras
Comentários Comente

Alexandre Praetzel

O interesse de Palmeiras, São Paulo e Corinthians por Gustavo Scarpa é absolutamente normal. O meia é muito bom jogador e será ótimo reforço em qualquer time do Brasil.

Me lembro de Scarpa atuando pelo Red Bull Brasil em 2015, emprestado pelo Fluminense. No Paulista daquele ano, chamou a atenção por boas atuações. Depois, voltou para o Flu na condição de titular. De 2015 a 2017, Scarpa fez 145 jogos e marcou 26 gols.

Não consegui entender a perseguição de parte da torcida ao jogador. Num time com vários garotos, Scarpa é disparado o melhor nome da equipe, aos 23 anos. Se a temporada não foi a ideal, é só ver a dificuldade do Fluminense no geral, com dificuldades financeiras e um elenco mais modesto em relação aos rivais.

O Palmeiras é o favorito para contratar Scarpa. Na negociação, o Flu pode receber o lateral Lucas, o meia Hyoran e o atacante Róger Guedes. Os três palmeirenses são distantes de Scarpa, na minha opinião.

Quando escuto que o Palmeiras não precisa de Scarpa, fico surpreso. Por que não trazer um jogador diferenciado, se há condições para isso? O Palmeiras pode e deve investir em Scarpa. Ele pode atuar ao lado de Lucas Lima, sem problemas.

Imaginem um meio-campo com Felipe Melo(Tchê Tchê), Moisés, Lucas Lima e Scarpa, mais Dudu e Borja(Willian)?

Qualquer torcedor gostaria de contar com uma formação assim. Então, se Scarpa for oficializado pelo Palmeiras, será uma excelente aquisição. Gosto muito deste atleta e o vejo como diferente da maioria.


Bruno Silva garante foco no Botafogo, mas não descarta ida para o Cruzeiro
Comentários Comente

Alexandre Praetzel

Bruno Silva está entre os três melhores meias do Campeonato Brasileiro. Em qualquer enquete que elege os destaques da competição, aparece o nome do jogador do Botafogo. Aos 31 anos, Bruno pode trocar o time carioca pelo Cruzeiro, a partir de janeiro de 2018. O blog entrevistou Bruno com exclusividade, sobre a real possibilidade deste negócio. Confira a seguir.

Você vai para o Cruzeiro ou fica no Botafogo?

Cara, eu ainda não defini. Tem o interesse do Cruzeiro. Estão conversando com meu empresário, mas como eu falei desde o começo, eu estou focado em ajudar o Botafogo, a colocar o Botafogo na Libertadores, novamente. Acho que esse ano, a gente fez uma campanha que deixou um pouco a desejar. Não tem nada ainda definido. Agora, vamos conversar. A cabeça sempre esteve no Botafogo. Nunca mudei meu foco, quando falaram em certo momento que eu fiz corpo mole. Fico feliz pelo interesse. Acho que é normal, é sinal que meu trabalho foi bem feito. Vamos sentar, conversar e ver o que é melhor para todo mundo.

Veio tarde o reconhecimento do teu futebol, após passagens por alguns clubes?

Sim. Eu jogava em posição diferente também. Na Ponte Preta, Chapecoense e no próprio Atlético-PR, eu era o primeiro volante, que não tinha muita liberdade para sair. Com o Jair, acho que ele descobriu esse meu potencial. Nos treinos, ele pede para eu passar e eu consigo fazer isso. Fiz seis gols no Brasileiro para um volante. Sou volante. Muita gente fala que sou meia, mas não sou meia. Então, fiquei feliz pelo meu ano, pelo campeonato que eu pude fazer e ajudar o Botafogo. Continuar dando sequência agora numa posição que eu me sinto muito bem, que eu gosto muito de jogar.

Botafogo tem um novo presidente e os investimentos não devem aumentar. Isso influi na tua decisão de permanecer ou não?

Tenho contrato com o Botafogo. A gente não pode esquecer disso também. Independentemente de qualquer coisa, sou jogador do Botafogo. Como eu falei, tem o interesse. Estão conversando, mas hoje estou falando como jogador do Botafogo. Cruzeiro já procurou o Botafogo. Então, acho que é continuar trabalhando essa semana que tem aí. Quando acabar e a gente conseguir nosso objetivo, vamos conversar e ver o que é melhor para todo mundo.

Algum clube de São Paulo te procurou?

Não. Por enquanto, só o Cruzeiro falou com meu empresário.

Bruno Silva disputou 110 jogos pelo Botafogo e marcou 14 gols. Ele tem contrato até dezembro de 2018 e a multa rescisória é de R$ 20 milhões. O Botafogo tem 40% dos direitos econômicos. O restante é da Ponte Preta. Bruno Silva recebeu o terceiro cartão amarelo contra o Palmeiras e não joga a última partida contra o próprio Cruzeiro, talvez, seu futuro time.


Destaque do Bahia, Zé Rafael admite que seria bom atuar no futebol paulista
Comentários Comente

Alexandre Praetzel

Zé Rafael, meia do Bahia, tem mostrado qualidade, defendendo o time no Campeonato Brasileiro. Aos 24 anos, tem sido monitorado por grandes clubes do Brasil. O blog apurou que Zé Rafael já teve seu nome citado no Palmeiras, Corinthians, Santos e Inter. O jogador bateu um papo rápido com o blog. Acompanhem a seguir.

Você está sabendo do interesse de três grandes de São Paulo no teu futebol?

Não, eu acho que isso são especulações que saem aí na mídia, né. E não dá para falar muito, antes do campeonato acabar. Eu acho que, minha cabeça também está no Bahia, tenho ainda contrato para cumprir. Antes do fim do campeonato, até agora não deram certeza de nada. Só especulação mesmo, continuar trabalhando para que as coisas possam acontecer no futuro.

Bahia é uma marca do futebol brasileiro, mas jogar no futebol de São Paulo, seria muito bom?

Ah, sem dúvida. Acho que é o maior centro do nosso futebol brasileiro. Então, tem que pensar mesmo duas vezes, se tiver oportunidade. Apesar do Bahia ser uma grande equipe e ter me dado essa oportunidade, a gente sabe que o futebol é muito dinâmico e passa rápido, então não tem muita escolha.

Zé Rafael tem contrato com o Bahia até dezembro de 2019. Revelado pelo Coritiba, nunca teve grandes chances na equipe. Apareceu bem no Londrina, na Série B do Brasileiro, em 2016. Fez 42 jogos e oito gols. No Bahia, disputou 51 partidas e marcou cinco gols.

Na Série A, o Bahia chegou a 35 pontos, na décima colocação, após derrotar o Corinthians por 2 a 0, em Salvador.


Após atrito com Dorival, Vecchio se destaca e curte bom momento no Santos
Comentários Comente

Alexandre Praetzel

Emiliano Vecchio chegou ao Santos em 2016, indicado por Dorival Jr. O meia argentino veio do Qatar SC e demorou um tempo para estrear. Fez apenas nove jogos, sem marcar gols. Em 2017, teve uma discussão com o treinador e fez críticas nos bastidores e foi afastado. Voltou ao time assim que Dorival foi dispensado pela diretoria. Curiosamente, o Santos melhorou com a sua entrada no time.

Diante do Bahia, na vitória por 3 a 0, Vecchio foi o melhor jogador em campo. O blog o entrevistou com exclusividade sobre o seu bom momento, o incidente com Dorival e as possibilidades de títulos para a equipe. Confira.

Você está vivendo seu melhor momento no Santos?

Um momento bom, como o que está vivendo o time. Faz várias partidas que estamos conseguindo vitórias, não estamos tomando gols. É o que eu falo. O mais importante é poder somar para que o time possa ganhar. Isso é o mais importante.

É possível ganhar um título, jogando num esquema com um volante, você e Lucas Lima e mais três atacantes?

É. Esperamos, né. O professor está provando, nada definitivo. Ele tem muitos jogadores e ele vai mudando. Está provando. Alguns jogos, atuou Leandro Donizete, outros Yuri, Alisson e o mais importante é ajudar a ganhar.

Santos tem time para ganhar Libertadores ou Copa do Brasil?

Santos tem um time muito bom. Ainda precisamos melhorar muito para podermos ser campeões. Sabemos disso. Somos conscientes disso. Estamos trabalhando para isso. Tem uma história muito boa na Libertadores e isso conta também. E uma torcida maravilhosa. Onze da manhã com 35 mil pessoas, não é nada fácil.

O incidente com Dorival te atrapalhou no Santos?

Não. Eu sempre falo. Sou um cara que eu falo o que eu penso. Falo na cara, sempre com respeito, mas eu falo na cara. Há pessoas que entendem e outras não. Muitas vezes, o jogador é o empregado, nesse caso. O treinador é o chefe e ele decidiu me afastar. Mas está tudo bem. Na verdade, não tenho nenhum problema com ele. A situação se deu desse jeito e eu sempre falo, tenho que trabalhar, ser honesto, que Deus vai premiar as pessoas que são honestas.

Vale a pena jogar no Pacaembu, pela maior presença de torcedores?

Para nós, jogar na Vila ou Pacaembu, é a mesma coisa. A Vila tem uma mística, que é muito difícil perder lá e o Pacaembu, tem outras coisas. Você vai, o torcedor lota o estádio e para nós, é uma ajuda importante.

Dá para virar em cima do Flamengo, quarta-feira, na Copa do Brasil?

Flamengo é um grande time, sabemos, muito parelho conosco. Vamos buscar, né. Sabemos que estamos dois a zero atrás e o time precisa do minuto um ao minuto 90, tentar virar esse jogo.

Na temporada, Vecchio fez seis partidas com um gol marcado. Quarta-feira, deve ser mantido entre os titulares. O Santos precisa vencer o Flamengo por três gols de diferença para chegar às semifinais da Copa do Brasil, após perder por 2 a 0, no Rio de Janeiro.

No Campeonato Brasileiro, o Santos é o terceiro colocado com 30 pontos, dez atrás do líder Corinthians.


Volante argentino confirma contato do São Paulo
Comentários Comente

Alexandre Praetzel

O São Paulo consultou o Velez Sarsfield a respeito do volante Lucio Compagnucci. O argentino de 21 anos está emprestado ao Huracán, time que luta contra o rebaixamento, no Campeonato Argentino. Em rápido contato com o blog, Compagnucci preferiu não entrar em detalhes, centrado no jogo do Huracán, nesta sexta-feira.

Você está sabendo do interesse do São Paulo no teu futebol?

“Eu não posso falar hoje porque estou concentrado no jogo do Huracán e nada se resolverá até se definir o descenso ou não”.

Você pode vir para o São Paulo, se o Huracán escapar do rebaixamento?

“Teve uma aproximação, mas me desculpe, estou concentrado no jogo de hoje. São Paulo é São Paulo(ele enalteceu a grandeza do tricolor)”.

Compagnucci disputou 12 jogos e não marcou gols. O Huracán enfrenta o San Martín na luta para não cair. Faltam três rodadas para o fim do Torneio Transição. Hoje, o Huracán estaria livre pela média de pontos dos últimos três anos.


Corinthians busca um meia no mercado
Comentários Comente

Alexandre Praetzel

O Corinthians não esconde de ninguém que busca reforços para o Campeonato Brasileiro, mesmo com a conquista do Paulista. Além do lateral-direito Cicinho, ex-Santos e Ponte Preta, e do atacante Clayson, da Ponte Preta, a diretoria quer um meia para a reserva de Rodriguinho e Jadson.

Hoje, apenas o garoto Pedrinho é opção. Giovanni Augusto está machucado e Marquinhos Gabriel perdeu espaço, apesar dos discursos a favor do atleta. Como o dinheiro está escasso, o Corinthians vasculha o mercado brasileiro para encaminhar alguma negociação.

O presidente Roberto de Andrade também considera importante não perder ninguém, mesmo com a necessidade financeira do clube. Fagner e Guilherme Arana são nomes cotados para deixar o Corinthians, com o surgimento de ofertas do exterior.

A certeza é que os investimentos serão pequenos em contratações, com nomes pontuais e indicados pelos analistas de desempenho, fundamentais hoje para muitas comissões técnicas.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>