Blog do Praetzel

Arquivo : Fred

Fred ainda tem lugar na Seleção Brasileira
Comentários Comente

Alexandre Praetzel

Fred ficou marcado pelo 7 a 1 contra a Alemanha e o mau futebol apresentado pela Seleção Brasileira, na Copa do Mundo de 2014. Desde o pênalti cavado diante da Croácia até o atropelo no Mineirão, Fred fez um Mundial sem brilho e pouco à vontade no time de Felipão com apenas um gol, frente a Camarões. Foi convocado porque sempre foi um goleador nato e teve um ciclo muito bom de 2010 a 2013, chegando à Copa das Confederações. Comparado a um cone pela torcida brasileira, não foi mais convocado por Dunga e Tite, apesar de continuar sendo um 9 de muita capacidade e qualidade dentro da área.

É verdade que teve seus desentendimentos, polêmicas e algumas lesões no Fluminense, mas sempre respondeu com gols, a ponto de ser alçado ao posto de maior jogador da história do Flu pelo ex-presidente Peter Siemsen. Em 2016, deixou o clube, brigado com a diretoria e com o técnico Levir Culpi. Conquistou dois títulos brasileiros. Disputou 288 jogos e marcou 172 gols.

Chegou ao Atlético-MG para concorrer com Lucas Pratto, no ataque. Não pôde atuar na Copa do Brasil, até a decisão diante do Grêmio, porque havia jogado o torneio pelo Flu. Alternando com o argentino, Fred terminou a temporada como goleador do Brasileiro com 14 gols, repetindo o feito de 2012 e 2014.

Em 2017, Fred ficou como referência, após a ida de Pratto para o São Paulo. A titularidade absoluta fez bem ao centroavante. Em 13 jogos, já fez 16 gols, culminando com os quatro gols no Sport Boys-BOL, pela Libertadores da América. Quatro gols de oportunismo, posicionamento, qualidade e uma pitada de sorte. Ah, mas contra times fracos, qualquer um faz, é o que eu ouço para desmerecerem Fred. Pura antipatia contra um 9 que ainda é muito útil para o Galo e porque não, para a Seleção? Em junho de 2018, estará com 34 anos.

O esquema de Tite é móvel, mas quantos gols Fred poderá fazer, sendo acionado por Neymar, Coutinho e Renato Augusto? Já ouvimos vários treinadores afirmarem que é bom ter um 9 no grupo, porque são jogadores que podem mudar a característica da equipe e decidirem com um gol. Acho que há espaço sim e vale o debate.


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>